Nutricionista Natália Barros, parceira Yuper - Como a alimentação pode impactar na TPM?

Nutricionista Natália Barros, parceira Yuper - Como a alimentação pode impactar na TPM?



A Tensão Pré-Menstrual, ou como conhecemos, a TPM, é o período que precede a menstruação e que se caracteriza por diversos sintomas psicológicos, físicos, emocionais e alimentares. Dentre eles, os mais comuns são as cólicas, alterações de humor, depressão, ansiedade, irritabilidade, insônia, fadiga, inchaço, sensibilidade nos seios, desejo por alimentos doces e enxaquecas. Todos eles podem de alguma forma gerar sofrimento e prejudicar a capacidade funcional da mulher.

Todo esse conjunto de sinais e sintomas são resultado das alterações hormonais do ciclo reprodutivo da mulher, marcado por flutuações hormonais, em específico da progesterona e do estrogênio, que preparam o organismo para uma possível gestação. Cada hormônio tem uma função específica no ciclo menstrual e geram diferentes respostas no organismo.

A TPM ocorre na 2ª fase do ciclo menstrual, chamada de fase lútea, na qual há predominância de progesterona e queda de estrogênio. Dessa forma, as ações deste hormônio em conjunto com as alterações que ocorrem na produção de serotonina nesse período explicam essa sintomatologia.

A literatura mais recente demonstra que o padrão alimentar tem impacto direto na sintomatologia da TPM. Isso significa que o que comemos e a frequência com que comemos pode agravar ou amenizar esses sintomas. Uma nutrição adequada pode auxiliar no alívio da TPM, reduzindo tanto a sua duração quanto a intensidade dos seus sintomas, e promovendo, assim, uma melhora na qualidade de vida da mulher.

De forma resumida, nessa fase é importante priorizar alguns nutrientes específicos, como magnésio, vitamina B6, carboidratos e triptofano, pois eles atuam no metabolismo da serotonina, o que contribui para redução da depressão, ansiedade e insônia. Além disso, fontes alimentares de cálcio, vitamina D e vitamina E devem compor a alimentação já que ocorre uma maior demanda destes nessa fase.

Outros cuidados podem ser tomados na alimentação, como a redução do consumo de álcool nesse período, ao contrário do que se pensa, o álcool pode agravar e não amenizar os sintomas. Consumir de forma moderada alimentação mais pró-inflamatórios, como ultraprocessados, açúcar refinado, refrigerantes, fast-foods e frituras. O chocolate pode ser um aliado, mas deve ser priorizado aqueles mais amargos com mais de 50 - 70% de cacau.

Lembre-se, a TPM não deve ser normalizada, qualquer sintoma incapacitante deve ser investigado com um profissional capacitado para que sejam feitas as mudanças necessárias.

 

Para acessar o meu e-book completo, clique aqui.

 

Natália Barros - Nutricionista
(CRN3-51427)
Nutrir sonhos, vidas e autoestima
Fertilidade | Gestação | SOP | Endometriose 🇺🇸Metabolic Nutrition @stanford | Mestre UNIFESP 

@nataliabarros.nutri

Compartilhe conosco sua experiência.

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados

Últimos posts

Yuper App

Baixe o Yuper App e tenha acesso a conteúdos exclusivos escrito por nossas médicas parceiras e interaja com a comunidade. Disponível na app store e play store.

Pesquise no nosso site

Cesta

Sua cesta está vazia no momento :(